Oficina de Danças Urbanas

DANÇA ESPÍRITA COMO_ danças urbanas

” A oficina será estruturada a partir de matrizes técnicas da Danças Urbanas, utilizando uma perspectivas diferenciada em relação ao próprio estilo considerando o diálogo com a Doutrina Espírita. O tema central será os processos Emotivos, que são influenciados pelo estado mental, físico e consequentemente comportamental. Frisando como objetivo enfrentar, reconhecer e harmonizar os próprios sentimentos através da dança, buscando uma maior autoestima, autoaceitação, autoperdão e Amor!”
bia (1)
Quinta-feira das 17 as 18h  
Sexta-feira e sábado das 7 as 8h
Facilitadora: Beatriz Santos
Participantes a partir de 14 anos.
Inscrições serão na recepção do evento.
Máximo 30 vagas!

Cidade Sede – IV Mostra Nacional 2018

…Hum, mas  a III Mostra Nacional de Dança Espírita em 2016, nem aconteceu e já estão pensando na de 2018???

SIM!!!! É verdade.

A escolha do próximo estado e cidade que irão sediar a próxima Mostra Nacional de Dança Espírita sempre acontece com a participação conjunta do Movimento Espírita de Dança Nacional, durante o evento.

Tem intenção de sediar a próxima MNDE?

Entre em contato conosco para ter acesso ao edital e regimento do evento.

O convite está aberto a todos! Participem!

Dança Espírita: Eu conheço. Eu apoio!!!!

candidatura

Edital Cidade Sede da IV MNDE 2018

 

Normas para Escolha da Cidade Sede – MNDE 2018

 

Considerando que:

– A Mostra Nacional de Dança Espírita tem se constituído um evento de grande relevância para difusão da linguagem da dança espírita nas diferentes regiões do país, buscando reunir o maior número grupos e artistas espíritas da dança, favorecendo assim as trocas de experiências, os momentos de estudo e reflexão, somada a prática; para sua realização, a cidade sede deve contar com estrutura compatível com as necessidades do evento. Portanto, há a necessidade do estabelecimento de requisitos indispensáveis à adequada organização, como meio de contribuir para o sucesso de um evento grande, itinerante, com participantes de diferentes faixas etárias, o que remete a diferentes necessidades e responsabilidades, além de envolver uma estrutura peculiar à linguagem da dança.

Desta forma, a Equipe de Coordenação Geral do Evento, no uso de suas atribuições, resolve:

Artigo 1º – Orientar o procedimento para escolha da cidade sede da Mostra Nacional de Dança Espírita que ocorrerá sempre nos anos pares, de dois em dois.

Artigo 2º – A escolha da cidade sede será feita presencialmente, em Reunião Geral com Coordenadores e Representantes do Movimento de Dança Espírita Nacional, realizada bienalmente durante a Mostra Nacional de Dança Espírita.

Artigo 3º – Realizar-se-á no decorrer do evento, enquanto os demais participantes estiverem em outras atividades que não envolvam a Equipe de Coordenação Geral do Evento, os coordenadores dos grupos e pelo menos um representante de cada estado e cidade presentes no encontro;

Parágrafo Único – A Reunião Geral definirá em cada MNDE a cidade da próxima mostra e será presidida pelo Coordenador Geral da MNDE.

Artigo 4º – As cidades/grupos/instituições proponentes à cidade sede, deverão encaminhar uma Carta de Interesse especificando e justificando o porquê de sediar o evento. Esta carta deve considerar, incluir e mencionar os itens que pode disponibilizar para a realização do evento. Também é salutar encaminhar  junto à carta, documentos que venham endossar e fortalecer a proposta da proponente, sejam estes: cartas/documentos da diretoria da instituição a que está vinculado, e também de outras instituições/casas/federativas que apoiem a ação.

Artigo 5º – As proponentes à cidade sede, após encaminharem as propostas, serão arguidas pela Coordenação Geral da MNDE, que considerando viável, irá solicitar ao proponente que apresente a mesma no Fórum de Coordenadores a ser realizado na III MNDE, para que os presentes, e que tenham direito a voto de acordo com o Regimento, possam indicar, após análise e esclarecimentos necessários, qual a cidade que melhor se adeque a sediar a IV MNDE em 2018.

Parágrafo único: A cidade sede da IV MNDE de 2018 será definida em Reunião Geral, através da proponente que obtiver o maior número na votação dos representantes/coordenadores de Grupo (com direito a voto).

Artigo 6º – Na proposta (carta de interesse) da cidade sede deverá constar necessariamente, de:

a) Sugestão de Infraestrutura para realização do evento:

          1 . Quantidade de salas para dormitório e estudo que comportem o número mínimo de 200 participantes; sendo preferencialmente os dormitórios usados somente para este fim (sem rodízio de salas – dormitório/estudo);

         2 .  Mínimo de 10 salas com boa ventilação mecânica (de preferência) ou refrigeração, para estudo e oficinas práticas – as salas devem comportar 20 pessoas (deitadas e com braços e pernas abertos – medida estimada para aulas);

         3 .  Mínimo de 20 salas para dormitório com boa ventilação mecânica (de preferência) ou refrigeração; sendo que cada uma contará com o número máximo de 15 à 20 participantes (bagagem e colchonetes);

         4 . Estrutura de alimentação no próprio local – tanto para preparo (preferencialmente) como para servir as refeições;

      5 . Estrutura de higiene – quantidade de banheiros femininos e masculinos suficiente para atender o número de participantes, considerando em especifico os horários de banho (número mínimo de seis chuveiros femininos e seis chuveiros masculinos em perfeitas condições de uso);

  1. Auditório com capacidade mínima para 300 pessoas sentadas – a ser utilizado para palestras/exposições;
  1. Quadras poliesportivas para circulação de pessoas nos momentos de intervalo, realização de atividades físicas, etc;
  1. Anfiteatro ou Teatro com capacidade mínima para 400 pessoas, palco com metragem mínima de 5×8 (5 metros de profundidade por 8 de largura, estrutura de entrada e saídas do palco (coxias), estrutura de iluminação e som básica; camarins com espaço adequado para acolher mais de um grupo para troca de roupas e banheiros em condições de uso pelos participantes (artistas e plateia);
  1. Caso o local do evento não conte com estrutura de palco/teatro para apresentações, a cidade sede deverá propor alternativas  viáveis considerando mecanismos para o transporte/traslado dos participantes (do evento ao local das apresentações e retorno ao evento) que não venha a prejudicar a programação.

 

b) Mencionar Infraestrutura de transporte:

  1. Malha aérea e rodoviária que permita acesso adequado a convidados e participantes.

Parágrafo Único – O proponente poderá indicar propostas alternativas e viáveis aos itens anteriores quando a cidade/instituição/grupo não disponibilizar de tais estruturas/recursos.

Artigo 7º – A proponente deve considerar no ato da candidatura, os compromissos com os quesitos de infraestrutura que o município e a instituição poderão viabilizar para  realização do evento:

  1. Compor uma Equipe de Coordenação Administrativa local, que deverá trabalhar em regime de responsabilidade, colaboração mútua e comunhão de ideias com a proposta da MNDE;
  1. Constituição de Comissão Executiva local (Equipe de limpeza, alimentação, secretaria, multimeios, etc.);
  1. Divulgação do evento na sua cidade e colaborar para a mesma  em nível nacional;
  1. Criação, elaboração, confecção e distribuição de impressos, a saber: cartazes, programa oficial (por participante), credencial (por participante), ficha de avaliação, e outros que a Equipe de Coordenação Geral definir como necessários;
  1. Plano de ações para Custeio de teatro (aluguel) caso seja necessário;
  1. Plano de ações para Custeio de transporte dos participantes até o local do evento, e até o local das apresentações (caso seja necessário);
  1. Mestre de cerimônias para Abertura das Noites Artísticas e momentos de convivência comum entre os participantes;
  1. Garantia de segurança e limpeza diárias do local, incluso material de higiene e limpeza.

 

Parágrafo 1º – Caberá ao município que sediará a Mostra Nacional de Dança Espírita providenciar todos os requisitos relativos à infraestrutura para realização do evento.

Parágrafo 2º – A Equipe de Coordenação Geral poderá propor o cancelamento da cidade sede do MNDE, a qualquer momento, no caso de risco grave à realização do evento por descumprimento das condições infraestruturais essenciais previstas neste artigo.

Artigo 8º – O município que tiver interesse em sediar o evento, deverá apresentar sua candidatura a Coordenação Geral da MNDE, via e-mail, sempre 3 meses antes da realização da MNDE em que ocorrerá a votação (extraordinariamente neste ano de 2016 até 5 dias antes do evento), apresentando os seguintes documentos, por escrito:

  1. Carta de Interesse especificando e justificando o porque de sediar o evento, esta carta deve considerar, incluir e mencionar os itens que podem ser disponibilizar a realização do evento.
  1. Documento/Ofício timbrado de apresentação de candidatura assinado pela instituição/município/federativa com Declaração de Apoio à realização do evento e de conhecimento das atribuições da cidade sede.
  1. Documento/Ofício timbrado com assinatura do presidente da instituição ou federativa, que apresente a candidatura do município declarando apoio à realização do evento, ciente das atribuições da cidade sede (mais de um grupo/instituição podem apoiar e/ou unir-se como proponentes);

Parágrafo Único: Os ofícios deverão explicitar e demonstrar o atendimento aos Artigos 5º e 6º desta Deliberação.

Artigo 9º – Os casos omissos na presente Deliberação serão resolvidos pela Equipe de Coordenação Geral da Mostra Nacional de Dança Espírita.

 

São Paulo, 04 de maio de 2016

Equipe de Coordenação Geral

III Mostra Nacional De Dança Espírita

 

Cadastro coordenadores/artistas isolados MNDE – 2016

Cadastro de preenchimento obrigatório aos coordenadores e participantes isolados da III MNDE – 2016

Orientações:

download1 – Somente os coordenadores dos grupos de dança espírita devem preencher este cadastro.

2 – Caso o coordenador do grupo de dança espírita não venha a estar presente na III MNDE, o integrante do grupo que estará presente no evento deverá preencher o formulário.

3 – O grupo que não preencher o formulário abaixo NÃO PODERÁ se inscrever nos workshops, nem seus integrantes.

4 – A inscrição para os workshops será feita APENAS virtualmente. As vagas são limitadas. Atingindo o número de vagas em determinado workshop, a inscrição será bloqueada.

5 – As inscrições para WORKSHOPS iniciam-se em 2 dias. A partir de 25/04.

6 – O preenchimento deste cadastro é condição obrigatória para participação em todas as oficinas e workshops da III Mostra Nacional de Dança Espírita. Será vetado a inscrição nos workshops dos grupos não cadastrados neste formulário.

7 – Dúvidas? mostranacionaldancaespirita@gmail.com

III Mostra Nacional de Dança Espírita e II Encontro Nacional de Arte Espírita

cartaz enarte333Encontro tem número recorde de inscritos: 445
A coordenação geral do 2º Encontro Nacional de Arte Espírita (Enarte 2016) está finalizando a listagem de inscritos no evento. Até ontem o blog do Enarte registrava a confirmação de 445 pessoas, sendo 402 participantes e 43 trabalhadores. É o maior número de participantes num evento promovido pela Abrarte até hoje.

Até então, o 1º Encontro Nacional de Arte Espírita/9º Fórum Nacional de Arte Espírita, realizado em Fortaleza, em 2012, era o recordista, com 250 participantes. Segundo Júlio Nunes, tesoureiro da Abrarte e um dos coordenadores do Encontro, ainda falta confirmar mais alguns trabalhadores, o que deve elevar os números finais próximo à casa dos 500 inscritos.

Conforme listagem divulgada no blog, os inscritos são de 18 Estados e 71 cidades. Confira a lista:

Amapá (Macapá): 41
Bahia (Salvador): 2
Distrito Federal (Brasília, Guará e Riacho Fundo): 11
Espírito Santo (Guarapari, Nova Venécia, Santa Maria de Jetibá, Serra, Vila Velha e Vitória): 29
Goiás (Aparecida de Goiânia, Goiânia e Itapaci): 12
Minas Gerais (Belo Horizonte, Cataguases, Nova Lima, Ouro Branco, Ribeirão das Neves e Sabará): 55
Mato Grosso do Sul (Campo Grande e Paranaíba): 3
Pará (Belém): 21
Paraíba (João Pessoa): 1
Pernambuco (Recife): 2
Piauí (Teresina): 12
Paraná (Colombo, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Pinhais): 33
Rio de Janeiro (Araruama, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Rio de Janeiro e São Gonçalo): 59
Rio Grande do Norte (Macaíba, Natal, Parnamirm e São Gonçalo do Amarante): 26
Rio Grande do Sul (Camaquã, Canoas e Porto Alegre): 6
Santa Catarina (Biguaçu, Blumenau, Florianópolis e São José): 13
São Paulo (Americana, Araras, Campinas, Franca, Guarulhos, Indaiatuba, Itanhaém, Itapetininga, Jundiaí, Marília, Matão, Paulínia, Pindamonhangaba, Rio Claro, São Paulo, Sorocaba, Sumaré, Taubaté): 114
Sergipe (Aracaju): 5

FONTE: Notícias ABRARTE, 15/04/2016